Gordura trans

A gordura trans foi criada pela indústria alimentícia com o objetivo de deixar seus produtos mais saborosos e mais durabilidade.

Ela foi durante muito tempo consumida sem culpa pelas pessoas, mas parece que agora isso começa a mudar a rotina.

O ápice de seu consumo ocorreu na década de 50, quando estava presente em grande parte dos alimentos. Mas, de uns tempos para cá, ela passou de substância milagrosa a veneno.

Estudos científicos realizados na década de 80 comprovaram que a gordura trans é altamente nociva à saúde humana e que já foi responsável pela internação de milhares de brasileiros.

Gordura Trans

A gordura trans é um tipo de composto produzido a partir de um processo químico que se chama hidrogenação.

Ela é proveniente de óleos vegetais e, por conta disso, acreditou-se no início que consumi-la seria mais saudável do que ingerir gordura animal, a famosa gordura saturada.

Essa teoria caiu por terra e ficou provado que ela aumenta os níveis do colesterol ruim, o LDL, e diminui a taxa de colesterol bom, o HDL.

E qual é o resultado disso?

  • Entupimento dos vasos sanguíneos
  • Aumento do risco de arteriosclerose
  • Infarto
  • Acidente vascular cerebral (derrame).

Gordura Trans - Infografico

Já o nome trans tem origem na sua composição química, pois ao invés de suas moléculas serem compostas por ácidos graxos saturados ou insaturados na configuração cis, eles estão na configuração trans.

Trocando em miúdos, significa que as moléculas iguais não estão dispostas linearmente e sim de forma cruzada, ou transversa, formando um “x”.

O processo de produção da gordura trans é bastante complexo. A matéria prima (óleos de origem vegetal) é colocada em uma câmara de hidrogênio e expostos a uma alta pressão e temperatura. Após esse processo ela se torna uma pasta preta e mal cheirosa.

Em seguida, esta pasta é alvejada até ficar sem cor e é desodorizada. A pasta torna-se uma substância semi-sólida e está pronta para o processamento e preparo industrial de alimentos.

A única forma natural de produção da gordura trans é no processo de ruminação dos animais. A presença dela no rúmen faz com que proporções mínimas de gordura trans, que não oferecem perigo à saúde, estejam presentes na carne e leite da vaca.

gordura-trans-frutas-ou-gordura-trans

Gordura trans faz mal?

Por ser uma substância que não é sintetizada pelo corpo humano, muitos médicos e especialistas afirmam que ela não deveria ser consumida em hipóteses nenhuma

Por isso mesmo ela já é proibida em países como a Dinamarca e a Suíça.

Porém, isso não acontece em todos lugares.

Do lado de cá do mapa, como a cultura de introduzi-la nos alimentos está muito disseminada pelas indústrias, especialmente no Brasil, fica muito mais difícil se livrar da gordura trans.

Grande parte desse problema acaba aparecendo, pois ainda não foi encontrada nenhuma outra substância que deixe os alimentos com o mesmo sabor, o que para a indústria alimentícia é um problema enorme.

Por outro lado, a ANVISA obriga que os fabricantes coloquem no rótulo a quantidade de gordura trans presente nos alimentos.

Assim como o Ministério da Saúde recomenda que a ingestão máxima diária da gordura trans seja de 2 gramas, o que equivale a quatro biscoitos recheados.

Alimentos com Gorduras Trans

A gordura trans pode ser encontrada usualmente em produtos industrializados e com gosto acentuado.

Mas lembrem-se qualquer produto que contenha esse tipo de gordura precisa ter sua presença anunciada na embalagem, então o melhor mesmo é ficar ligado na hora da compra.

Confira aqui alguns exemplos de alimentos que contém gordura trans.

Margarinasgordura-trans-manteiga

Pães e Massas (massas folhadas, biscoitos, bolos e semelhantes)gordura-trans-biscoitos

Leite e derivados (sorvetes, queijos amarelos etc.)gordura-trans-leite-e-derivados

Alimentos prontos (batatas fritas e outros salgadinhos de pacote, pipoca de microondas, bolachas recheadas, barra de cereais)gordura-trans-batatas

gráfico com os lanches do McDonalds com mais gordura transTop 10 alimentos com mais gordura trans

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook