Rinite

É um problema super comum, estima-se que em cada 10 pessoas 4 sofram de rinite, uma inflamação na mucosa do nariz, que se repete com frequência.

Espirros constantes ( até 20 de uma vez só ); coriza líquida e abundante; coceira persistente no nariz, nos olhos, nos ouvidos, no céu da boca e na garganta; narinas entupidas por excesso de muco; sensação de escorrimento da secreção pela parte de trás do nariz, que pode provocar pigarro ou tosse insistente; alterações no olfato e do paladar; tosse crônica noturna; amidalites; faringites e inflamações repetidas de ouvido.

Rinite

Todos esses sintomas apontam para a doença, que pode ter origens variadas.

De onde vem a Rinite ?

A rinite medicamentosa é aquela causada pelo uso abusivo de soluções nasais à base de cloreto de sódio e de outras substâncias.

Existem também a rinite atrófica ozenosa, uma inflamação crônica que provoca a formação de estruturas fétidas na parte interna do nariz. Ela é menos comum. A mais popular é a do tipo alérgica, relacionada a uma predisposição do indivíduo ao processo inflamatório.

O que fazer para o tratamento de Rinite ?

Como a maior incidência de rinite é alérgica, o tratamento consiste em melhorar a ventilação nasal e desinflamar a mucosa, para que as secreções possam ser eliminadas sem dificuldades. Para isso, a primeira medida é manter o ambiente, de trabalho ou doméstico, bem higienizado.

Limpar frequentemente a casa e evitar colocação de carpetes, cobertores, cortinas, pelúcias e tudo mais que favoreça o acúmulo de poeira e de ácaros.

Além disso, animais de estimação dentro de casa também precisam ser evitados, uma vez que pelos e penas também podem ser agentes alérgicos. Produtos de limpeza, perfumes e outras substâncias com odor forte podem causar alergia. Outra solução simples e eficaz é abrir as janelas, especialmente em momentos ensolarados, para que o ambiente fique arejado.

Dependendo do grau da rinite, também é recomendado o tratamento medicamentoso ou com vacinas antialérgicas.

Consulte sempre um médico ao fazer o uso de medicamentos.

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook